Feeds:
Posts
Comentários

Archive for maio \19\UTC 2019

Hoje, 18 de maio de 2019, noite de lua cheia, lembrei-me desta antiga matéria que escrevi para o Portal das Jóias. Dando sequência ao resgate delas, resolvi ser esta a matéria da vez.

Segue na íntegra, ressaltando que foi escrita em 2005:

Este mês quero apresentar a vocês um novo material que estou agregando ao meu trabalho em cerâmica plástica, que é a argila de metal. Nas matérias que escrevi até hoje sempre frisei minha paixão pela modelagem, onde sentimos no tato e na delicadeza dos dedos o prazer da tridimensionalidade das pequenas formas livres que criamos.

Há um certo tempo que eu lia em sites e livros de outros países, artigos sobre uma massinha fabricada no Japão que, após a queima, transformava-se em uma linda jóia modelada em prata 1000 e ouro 22K. Parecia algo mágico, até mesmo difícil de acreditar.

Finalmente quase no término do ano passado (2004), para minha alegria, esse produto aqui chegou. Mais do que depressa corri para uma primeira aula, onde finalmente tive meu contato com esse novo produto. Posso dizer a vocês que achei surpreendente sair dessa aula com as primeiras jóias em prata feitas por mim.

Mas eu quis aprofundar meu aprendizado e logo me inscrevi para fazer um longo curso de certificação, onde durante 56 horas em período integral, aprendemos diversas técnicas dessa inusitada forma de trabalharmos a joalheria artesanal. A emoção foi enorme, tanto por ser a primeira turma no Brasil a certificar-se, como por estar lado a lado com meus colegas de curso, renomados joalheiros e verdadeiros mestres nessa no Brasil. Senti-me muito honrada em fazer parte dessa turma tão especial.

A Art Clay Silver e a Art Clay Gold são metais transformados em um pó extremamente fino, misturados a um agregado orgânico atóxico e água. Modelamos manualmente, secamos (nesta etapa assemelha-se a um delicado gesso seco), e é também nesta etapa onde passamos o maior tempo de trabalho, esculpindo detalhes e dando acabamento com limas, lixas finas e pequenas ferramentas. Depois vem a queima que, no caso desta massa de prata, podemos fazer de diferentes formas: na chama do fogão caseiro (sobre uma tela de aço), com o maçarico, ou em forno de alta temperatura (de 650 a 850°C). Após esse processo temos uma peça de prata com 99,9% de pureza. Na queima do ouro o forno é indispensável e a temperatura é mais alta (999°C). Após esse procedimento, é só dar o polimento adequado e bem caprichado e sua jóia está pronta!

Desde o início pensei em unir essas duas formas de modelagem, a do metal precioso com a cerâmica plástica, e considerei um casamento perfeito. É o metal nobre valorizando a massa plástica, esta que, por sua vez, já prima por todo o potencial artístico e criativo de suas muitas possibilidades técnicas e cores.

As peças que fiz e aqui apresento foram todas modeladas em Art Clay Silver e cerâmica plástica (técnica imitação de Opala). Fazem parte da coleção que denominei Luas de Maio, e que foram apresentadas depois à Art Clay do Brasil como meu trabalho de conclusão de curso, servindo como avaliação para eu tornar-me instrutora sênior certificada.

Em outra matéria escreverei sobre a imitação de opala em cerâmica plástica.

Até!

(autoria do texto e peças: Beatriz Cominatto)

Nota1: Matéria escrita e publicada no site Portal das Joias em 2005. Leia sobre.

Nota2: As peças foram feitas em 2005.

Anúncios

Read Full Post »

A ágata musgo (também conhecida como ágata musgosa ou moss) é uma curiosa gema encontrada geralmente associada ao granito e rochas calcárias, formada a partir de dióxido de silício ou sílica.

Tem como característica principal a presença de filamentos em seu interior com um interessante aspecto de musgo. Mas não são musgos de verdade, pois ela não tem qualquer matéria orgânica em seu interior, e sim filamentos  compostos de minerais, como óxidos de manganês ou ferro, encaixados entre os grãos de calcedônia, proporcionando esse aspecto de crescimento de musgos.

 

Sua coloração também poderá variar de acordo com a quantidade de impurezas em seu interior, como o ferro e o cromo. A maioria possui fundo fosco branco leitoso ou transparente, embora também seja encontrada em outras colorações puxando mais para o castanho ou avermelhado. A variedade mocha, por exemplo, é mais escura.

A ágata musgo é encontrada em diversas partes do mundo, principalmente no Brasil, EUA, Índia e Europa, e a maioria tem origem em rochas vulcânicas.

 

Foi muito utilizada como adorno pelos gregos há mais de 3.000 a.C. É também considerada a mais poderosa das ágatas, conhecida como a ágata dos guerreiros. Há muitos séculos usada como amuleto de sorte, também pelos agricultores, que a utilizavam presa ao corpo ou amarrada ao chifre do boi do arado, como forma de garantir fartura na colheita.

 

Em sua imitação com cerâmica plástica – sempre uma divertida e interessante forma de trabalhar com a massa – busquei o efeito mais acastanhado da pedra (mocha). Sempre trabalhando com a massa translúcida branca, mas colorindo irregularmente com pigmentos em pó metalizados em tonalidades variadas, salpicada de massas escuras bem fracionadas entre as finas camadas da modelagem. A quantidade disso tudo é que dará o tom mais claro ou escuro à sua peça. Eu poderia ter deixado mais claro, mas procurei escurecer proporcionando um efeito interessante e um pouco metalizado. Tudo finalizado com muita lixa, polimento e verniz específico para cerâmica plástica.

Abraços e até a próxima matéria!

(autoria do texto e peças: Beatriz Cominatto)

Nota1: Matéria escrita e publicada no site Portal das Joias em 2011. Leia sobre.

Nota2: As peças foram feitas em 2011.

Read Full Post »