Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 21 de junho de 2020

Laca cinnabar, ou cinábrio se preferir, é uma laca chinesa de um lindo e intenso vermelho. É uma seiva extraída de uma árvore encontrada na China, Japão e outros países asiáticos, embora hoje bastante rara. 

O processo para sua aplicação se dá através de inúmeras camadas bem finas e sobrepostas, no mínimo 50. Em algumas peças, essas sobreposições podem utilizar até mais de 100 camadas. Vale aqui ressaltar que a secagem entre uma camada e outra pode levar dias. Após todo esse processo, sua rígida superfície é meticulosamente esculpida de forma totalmente artesanal. Não é à toa que é um povo também conhecido por sua admirável paciência! Esse trabalho teve origem na China, durante a Dinastia Tang (ápice no século 8), considerada a era de ouro da cultura chinesa. Porém, alguns séculos depois, já no 14 , foi desenvolvida no Japão uma nova técnica, bem mais rápida e menos trabalhosa para utilizar a laca cinnabar. Passaram a esculpir primeiro a madeira, material bem mais agradável e macio, e depois revestir essa mesma madeira, já entalhada, com uma espessa camada da laca. Um resultado perfeito!

Hoje já encontramos facilmente no mercado réplicas muito bem feitas de laca cinnabar, confeccionadas em resinas e plásticos. Algumas tão perfeitas que somente um olhar mais atento e com uma lupa para encontrar as diferenças. A laca cinnabar verdadeira é trabalhada em camadas que, se olhadas detalhadamente na região esculpida, dá para se observar a composição das mesmas, coisa que no plástico ou na resina não acontece, ficando uma superfície uniforme e sem as marcas das camadas. Como também na laca cinnabar verdadeira não existe a presença de bolhas, enquanto no plástico ou na resina, mesmo que de forma bastante sutil, isso pode ser observado.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é mygKISaSh79yy62vqErVeaQRnyV1TA2DTRlkQxchQKHjy1n80FYH-oC0L_9ZR2j2Kq2hsF4kA5xCE-QeYWcE-Ak8Gu9Pq9qTAS-7XAK0-9B8BR8Ig8RvOrN0L6aHDw

A laca verdadeira foi fartamente utilizada para revestir tigelas, pratos, pentes, vasos e outros objetos bem variados, transformando peças simples em verdadeiras obras de arte. Mas hoje é bem pouco utilizada em função da escassez da matéria prima, no caso, a árvore da laca (Rhus Verniciflua). Os templos budistas no Japão até hoje preservam muitas peças feitas com esse material, que são utilizadas em suas cerimônias religiosas. Aliás, vale aqui relembrar que o Japão importou da China a arte de trabalhar a laca cinnabar.

Já o minério cinnabar (ou cinábrio),  com o mesmo nome e igual coloração, nada tem a ver com a seiva das árvores asiáticas, apenas emprestou o seu nome à laca em funcão da coloração. Trata-se de um material que pode conter concentrações de mercúrio líquido, onde somente o seu o contato com o calor do corpo humano já seria suficiente para exalar substâncias bastante nocivas à saúde, quando absorvidas pela pele.

Para modelar a sua “imitação” na cerâmica plástica, apenas procurei dar o efeito de textura e de cor, algo extremamente simples e fácil de ser feito, com resultados bonitos, mas  sem  a menor pretensão de se fazer passar pela nobre laca chinesa. E sim com formas e a apaixonante energia do vermelho que, por sinal, é minha cor favorita. Então nem preciso dizer que amei os resultados, não é mesmo?

(autoria do texto e peças: Beatriz Cominatto)

Nota1: Matéria escrita e publicada no site Portal das Joias em meados de 2008. Leia sobre.

Nota2: As peças foram feitas em meados de 2008.

Read Full Post »